Vaughan e Risso em Wolverine

0
301

No início do ano que vem, o mutante canadense mais querido dos leitores, conhecido mundo afora como Wolverine, ganhará uma minissérie muito especial nos EUA.

As três edições de Logan serão escritas por Brian K. Vaughan e desenhadas pelo argentino Eduardo Risso. A minissérie será publicada sob o selo Marvel Knights.

Os méritos para a reunião desse time são do editor Axel Alonso, que falou brevemente sobre como as coisas se deram. Segundo ele, já existia uma conversa antiga com Risso sobre a possibilidade de uma história do Wolverine desenhada por ele. Ao mesmo tempo, o editor vinha tentando convencer Brian a “escrever alguma coisa pra mim”.

“Quando eu disse para o Brian que eu estava conversando com Eduardo, ele agarrou a oportunidade. O que não é de se espantar. Não existe hoje um único escritor da indústria que não queira trabalhar com Eduardo Risso”.

A história de Logan se passará no Japão contemporâneo, com flashbacks dos dias de Wolverine na Segunda Guerra Mundial.

Eduardo Risso é um desenhista de quadrinhos argentino. Começou sua carreira em 1981, fazendo ilustrações para o jornal La Nación. Seu primeiro trabalho em quadrinhos foi Parque Chas, produzido em parceria com o roteirista Ricardo Barreiro, com quem também fez Caim. Em seguida, o artista lançou no mercado francês Fulù, uma série de cinco álbuns com roteiro de Carlos Trillo, com quem também assina O Menino-Vampiro, Borderline, Simon: An American Tale e Chicanos. Em 1997, Risso entrou no mercado norte-americano com a minissérie Aliens: Ressurection, da Dark Horse. No ano seguinte, ele iniciou seu trabalho com Brian Azzarello em Jonny Double, e logo a dupla criaria a obra que mais marcou a carreira de ambos, a série policial 100 Balas, publicada atualmente no Brasil pela Pixel Media.

Brian K. Vaughan é um escritor de quadrinhos americano. Ainda enquanto era um universitário, estudando cinema na universidade de Nova York, Vaughan participou do programa da Marvel Comics chamado Stan-hattan Project, que ajudava aspirantes a entrar para a indústria dos quadrinhos. A primeira revista com créditos em seu nome foi Cable #43. Os seus maiores sucessos, no entanto, vieram com títulos autorais. Entre esses, se destacam Y: O Último Homem, Ex Machina e Pride of Baghdad, esse último ainda inédito no Brasil. Ele também escreveu o roteiro para a adaptação cinematográfica de Y, além de peças de teatro e programas de TV, incluindo aí o seriado de sucesso Lost.

 

Fonte: HQ Maniacs

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.