San Diego Comic-Con: novidades dos heróis Marvel

3
287

The Twelve Atenção! Esta notícia contém informações sobre histórias ainda não contadas no Brasil.

Ontem foi o primeiro dia da San Diego Comic Con, uma das maiores convenções de histórias em quadrinhos dos EUA e as editoras já começaram a revelar seus próximos lançamentos. Confira aqui o que a Marvel Comics está preparando para seus leitores.

The Twelve

Novo projeto do roteirista J. Michael Straczynski, com ilustrações de Chris Weston, é uma minissérie em doze edições. Será publicada em 2008 e irá apresentar heróis que faziam parte do panteão da Marvel Comics em meados da década de 1940, quando a editora ainda era chamada de Atlas Comics (e, antes disso, Timely Publication), e que ao contrário de outros personagens da época, como Namor e Capitão América, caíram no esquecimento.

Como foi ótimo trazer de volta alguns personagens clássicos em Poder Supremo [série publicada no Brasil pela editora Panini, na revista Marvel Max], resolvi que poderia me aprofundar ainda mais”, disse Straczynski. “Será curioso ver como esses heróis reagem ao choque cultural de despertarem no mundo de hoje, e também nossas reações a eles.”

A trama foi desenvolvida para explicar o desaparecimento destes heróis e, conseqüentemente, trazê-los de volta ao nosso tempo. O Captain Wonder, Dynamic Man, Electro the Marvel of the Age, Rockman, Mister E, Mastermind Excello, Blue Blade, Phantom Reporter, Laughing Mask, Witness, Fiery Mask e a Viúva Negra da Era de Ouro foram colocados em estado de suspensão por criogenia pelos nazistas, durante a Segunda Guerra Mundial. De volta, eles precisam aprender a viver em um mundo onde tudo e todos os que conheciam já não existem mais.

Blue Blade, um dos heróis desconhecidos de The Twelve Para Straczynski, o foco da história é a questão: o que faz de alguém um herói, hoje e ontem, e qual o ponto de intersecção entre estes dois pontos. “Quando a tolerância social se torna liberdade e quando a preferência se torna preconceito?”, disse o roteirista. “O passado foi desconstruído como deveria, e é o futuro aquilo que deveria ser? E se não, por quê?” E para alfinetar, o editor Tom Brevoort disse que alguém será morto.

Os personagens foram escolhidos de uma lista preparada por Brevoort, que selecionou os personagens clássicos cujas licenças ainda pertenciam à Marvel. A partir disso, Straczynski escolheu aqueles que pensou constituírem o melhor elenco, com uma gama diferenciada de poderes, histórias passadas, propósitos e, é claro, oportunidades para novos conflitos.

Já o ilustrador Chris Weston afirmou que o que tem lhe agradado neste trabalho é poder recriar o visual dos personagens; não apenas seus uniformes, mas também suas feições. “Na Era de Ouro, os personagens pareciam ter todos o mesmo rosto, então dei características a eles que os distinguissem uns dos outros. Um deles está até ficando careca! Quando foi que você viu um super-herói careca?!”, brincou o desenhista.

Iron Man: Viva Las Vegas

Iron Man: Viva Las VegasEste é o nome da nova minissérie em quatro edições que será estrelada pelo Homem de Ferro. E a equipe criativa responsável pelo gibi vem trabalhando também no filme do personagem: os roteiros serão de Jon Favreau, ninguém menos que o diretor da película. Os desenhos são de Adi Granov, que também já desenhou um arco no título regular do Homem de Ferro e foi responsável pelo desenho da armadura que Tony Stark usa na adaptação cinematográfica.

O gibi, cujo primeiro número deve chegar às comic shops norte-americanas na mesma época do lançamento do filme (2 de maio de 2008) será publicado pelo selo Marvel Knights e, como todos as edições da linha, não está estritamente ligado à continuidade do personagem, apesar de ser uma história, segundo o editor Tom Brevoort, “empolgante e atraente, com a mesma sensibilidade que Jon e Adi deram ao filme.”

Perguntado sobre o que exatamente isso queria dizer, Brevoort afirmou não poder dar mais detalhes, para não estragar nenhuma surpresa relacionada ao filme, mas que os leitores definitivamente irão reconhecer ali o clássico Homem de Ferro. “Basicamente, Jon e eu decidimos fazer o gibi mais cheio de ação cinematográfica e humor inteligente que nós poderíamos”, completou o desenhista Granov.

A trama da mini gira em torno de uma gigantesca figura entalhada de um dragão dourado, descoberta pela arqueóloga Elsa Bloodstone. A escultura ancestral se torna a peça principal de uma exposição em um cassino na cidade de Las Vegas, que também está abrigando uma retrospectiva das invenções de Howard Stark, pai de Tony. As coisas então saem de controle quando o dragão cria vida e o Homem de Ferro precisa se envolver.

Nova mini do Capitão Marvel
 
Mar-Vell retornou aos quadrinhos no começo deste ano, no especial Civil War: The Return, edição especial ligada ao evento Guerra Civil (que a editora Panini recentemente começou a publicar no Brasil). A revista apresenta um Capitão Marvel que foi lançado fora do continuum espaço-tempo depois de sua batalha com Nitro, na qual foi exposto ao gás que lhe causou câncer, mas antes de sucumbir à doença (na clássica história A Morte do Capitão Marvel, de Jim Starlin).

E é esta versão que estrela a nova minissérie em cinco edições escrita por Brian Reed, com desenhos de Lee Weeks e capas de Ed McGuiness.

Em Civil War: The Return, o Capitão Marvel aceitou o posto de guardião da prisão de super-humanos 42; mas quando o primeiro número da mini chegar às lojas, os leitores se surpreenderão ao encontrar Mar-Vell na França. “Ninguém na S.H.I.E.L.D. sabe o que aconteceu com ele”, disse Reed. “Algo aconteceu a ele na batalha de Times Square [o clímax de Guerra Civil] e ele simplesmente resolveu abandonar tudo.” Reed planeja revelar durante a história o que realmente aconteceu em Times Square, e também irá mostrar o que o retorno do Capitão significa para os outros heróis da Marvel. “Ele o viram de relance em Times Square e a primeira explicação foi que Tony Stark o tinha clonado, como fez com Thor, explicou o roteirista. “Mas depois eles se dão conta do que aconteceu e não sabem o que pensar.”

Na trama também será revelado o porquê do Capitão Marvel ter sido enviado para o futuro e o que pode acontecer caso ele ainda esteja por aqui quando morrer, o que isso faria com a história que todos conhecem. Reed prometeu ainda se aprofundar na origem Kree do Capitão, bem como o que tem acontecido com esta raça de alienígenas desde os acontecimentos do evento Annihilation: Conquest.

Reed disse que as idéias principais com as quais lidou na mini foram o fato de Mar-Vell saber quando vai morrer e a reação pública a seu retorno, com algumas pessoas tomando o fato por um evento religioso. Isso leva à criação da Igreja de Hala, na qual começam realmente a adorá-lo como a um deus. A reação dos heróis a isso é um dos pontos chaves da história.

Quanto aos coadjuvantes, Reed prometeu aparições de Ms. Marvel, que irá pedir ajuda ao Capitão na recém-descoberta situação envolvendo os Skrulls, uma agente francesa da S.H.I.E.L.D. chamada Heather Sante e alguns vilões que, segundo Reed, farão os leitores se perguntarem o que eles estão fazendo ali. “E essa é exatamente a pergunta certa”, finalizou o roteirista.

Fonte: HQ Maniacs

3 COMMENTS

  1. uma pena que o Granov leva muito tempo pra fazer a arte de uma revista, por isso ele faz mais capas do que a arte interna. Aquela sr0069e do Homem de Ferro que ele fez com o argumento do Warre Ellis foi espetacular…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.