Nova HQ da Liga Extraordinária encara problema de direitos autorais

0
433

A DC/Wildstorm anunciou esta semana que The League of Extraordinary Gentlemen: The Black Dossier, terceira aventura da criação de Alan Moore e Kevin O’Neill, terá sua versão original, em inglês, vendida inicialmente apenas nos EUA. Segundo a editora, isto se deve a “questões de direito autoral internacionais”.

Fãs especulam que a HQ faz muitas referências a personagens literários que ainda não entraram no domínio público em alguns países. Há uma diferença, por exemplo, entre a lei do direito autoral nos EUA e no Reino Unido: no primeiro, a regra é o trabalho ter sido publicado antes de 1923 ou a morte do autor ter passado dos 70 anos; já na lei britânica, vale somente a regra dos 70 anos (entre outros detalhes).

Moore provavelmente faz muitas referências a autores britânicos no novo álbum da Liga Extraordinária. Um problema similar aconteceu com sua última graphic novel, Lost Girls, e suas referências ao Peter Pan de J.M. Barrie – grosso modo, um trabalho protegido na lei britânica e público na lei dos EUA. Depois de um acordo, definiu-se que Lost Girls só poderá sair na Inglaterra a partir de janeiro de 2008, 71 anos após o ano da morte de Barrie (1860-1937).

Em outras situações, Moore já reclamou da lei inglesa lhe impedindo de usar grandes personagens da literatura fantástica – como o Fu Manchu de Sax Rohmer (1883-1959), que teve que se tornar um “vilão chinês genérico” no primeiro volume da Liga Extraordinária. Da mesma forma, tais leis prejudicaram o filme baseado nos quadrinhos – produtores e roteiristas tiveram que fazer muitas piruetas e mudar personagens para garantir um lançamento internacional sem problemas com a justiça.

The League of Extraordinary Gentlemen: The Black Dossier, que deveria ter saído no ano passado, foi reprogramado para outubro deste ano, deixando os fãs roendo as unhas pela promessa de um álbum que será não apenas de quadrinhos, mas provavelmente um pacote multimídia envolvendo um pequeno livro e (talvez) até um disco de vinil.

Fonte: Omelete

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.