Marc Guggenheim lança Resurrection

0
293

Em dezembro, o roteirista Marc Guggenheim lança uma nova série pela Oni Press. Resurrection, com arte de Dave Dumeer, mostrará o que acontece com a humanidade, depois de uma longa ocupação alienígena.

Normalmente, em obras de ficção científica, os alienígenas invadem a Terra, causam bastante estrago e são a muito custo derrotados. “A pergunta que eu sempre me fazia após assistir a qualquer filme do gênero era: E agora?”, diz o roteirista. “Quanto mais pensava sobre isso, mais percebia que há um monte de questões e histórias interessantes a serem contadas sobre esse mundo pós-invasão”.

Resurrection se passa em um mundo bastante parecido com o nosso – mas que passou 10 anos sob o domínio de uma raça alienígena conhecida como Bugs. Todas as tentativas de libertação empreendidas pelos humanos fracassaram. Quando a história começa, um grupo de sobreviventes descobre que, inexplicavelmente, os Bugs deixaram a Terra. Os dois personagens principais são Sara, uma mãe em busca de seu filho, e o enigmático Ben.

No primeiro arco, Ben e Sara rumam em direção a Washington e vão encontrando outros sobreviventes no caminho. Os leitores encontram vários personagens secundários, como o Presidente dos Estados Unidos. “Não quero revelar muito sobre esse personagem, é suficiente dizer que, onde quer que haja uma invasão, há pessoas que prosperam e se beneficiam dessa ocupação. Fortunas são perdidas e o poder muda de mãos. Esse personagem personifica esse conceito”.

Na segunda edição, Guggenheim apresenta sua versão pós-apocalíptica do homem mais influente do mundo, uma espécie de Bill Gates. “Uma das primeiras idéias que tive foi, se eu fosse Bill Gates, a primeira coisa que faria, logo que os aliens partissem, seria tentar pôr as mãos em qualquer tecnologia alienígena deixada para trás”.

Os personagens de Resurrection não se encaixam nos moldes de bons ou maus. “A vantagem de escrever um título que não é de super-heróis é que você não é obrigado a definir seus personagens como mocinhos ou bandidos”, declara o autor. “Assim, quem é vilão e quem é herói será algo que os leitores podem debater e talvez mudar de opinião ao longo do tempo”.

Outro relacionamento explorado na série é o de Spock, um alienígena cativo e sua carcereira. A criatura a princípio aparece nas sombras. Os detalhes sobre ele e os demais Bugs serão revelados aos poucos. Outro mistério da revista são os Burns, seres deformados e aparentemente insanos, que aparecem no primeiro arco.

Marc Guggenhein atualmente escreve Wolverine para a Marvel. Na DC Comics, escreveu a revista The Flash – The Fastest Man Alive logo após da saída de Danny Bilson e Paul DeMeo. Seu próximo projeto para a DC é um arco em cinco partes na revista Batman Confidential, ainda não publicado.

Fonte: HQ Maniacs

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.