Lançamentos de HQ da semana: ‘O alienista’ e ‘Pixel Magazine’

0
286

O alienista, de Machado de Assis
Fábio Moon e Gabriel Bá
Agir, 72 páginas, R$ 39,90

A editora Agir entra no mercado de quadrinhos com a boa proposta de adaptar clássicos da literatura nacional aos quadrinhos. O primeiro álbum traz o conto O alienista, de Machado de Assis, adaptado pelos irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá, indicados ao prêmio Eisner deste ano por outra obra, “De: tales”, publicada nos Estados Unidos.

Para quem faltou às aulas do cursinho pré-vestibular, o conto é protagonizado pelo médico Simão Bacamarte, que, de volta à cidade de Itaguaí, decide colocar os loucos na Casa Verde, onde pretende estudar e catalogar os vários tipos de loucura. À medida que quase todos os habitantes vão parar na casa, uma revolta eclode, comandada pelo barbeiro Porfírio. A partir deste enredo, Machado de Assis, antes mesmo de Freud, faz uma análise da loucura e da mente humana.

Fábio e Gabriel optaram por manter grande fidelidade ao texto original em sua adaptação, mas não deixaram de fazer algumas alterações. “O texto é moderno, só transformamos em uma história em quadrinhos. Algumas partes narrativas transformamos em diálogos e também demos um tamanho maior ao Porfírio”, conta Gabriel Bá.

“O desenho ficou a cargo do Fábio. A gente não queria fazer só em preto e branco. O tom amarelado também ia ser pouco, por isso tem espirradas de laranja para dar um clima.”

A idéia da editora Agir é publicar várias adaptações de autores diferentes, mas por enquanto O alienista é o primeiro e único lançamento.

Pixel Magazine
Vários autores
Editora Pixel, 100 páginas, R$9,90

A Pixel conseguiu os direitos dos selos Vertigo e Wildstorm, ambos da DC, e vai passar a ter publicações como “100 balas”, “Preacher” e “Monstro do pânico”. E, na mensal Pixel Magazine, vai misturar alguns dos principais títulos dos selos adquiridos, antes publicados por outras editoras.

A número 1 abre com Hellblazer, que traz Constantine (vivido por Keanu Reeves no cinema) em uma história escrita por Warren Ellis.

A segunda história é com a Global Frequency, grupo secreto que lida com assuntos que os governos mundiais querem manter em segredo. Cada história é independente, já que foram escritas por Warren Ellis para virarem série de TV. Um piloto da série chegou a ser feito, mas nunca foi ao ar.

Ainda há mais duas criações de Ellis, Authority e Planetary, grupos de super-heróis que em nada lembram a Liga da Justiça. Discussões políticas e sexuais (há personagens gays) fazem parte das histórias, que ainda fazem referências a outros títulos em quadrinhos.

A última história é de Alan Moore (V de vingança) e Melinda Gebbie. Publicadas na revista Tomorrow stories, Cobweb é uma voluptuosa heroína que combate o crime para se livrar do próprio tédio. Nos EUA, a história rendeu problemas para a DC Comics depois que Moore abordou a cientologia (religião de Tom Cruise) e seu fundador, L. Ron Hubbard, em um dos números da revista.

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.