Escritor reclama de download de quadrinhos na Internet

4
648

Notícia retirada do site Omelete

O escritor de Mulher-Hulk e Avengers: The Initiative, Dan Slott, lançou um apelo pedindo que leitores parem de baixar seus quadrinhos em programas de troca de arquivos. O autor publicou seu texto no fórum de downloads por BitTorrent Demonoid, em resposta a um usuário que disponibilizara em arquivo todas as edições de Mulher-Hulk.

A pirataria de quadrinhos na Internet vem se popularizando há alguns anos. Atualmente, coletivos de escaneadores dedicam-se a colocar na rede os quadrinhos da semana um dia após sua publicação nos EUA, bem como a digitalizar os mais de 80 anos de história da HQ norte-americana.

Slott diz que a compra de uma edição de suas séries é como um voto para a continuidade da revista, e de seu trabalho. “Quando você baixa um gibi sem pagar por ele, não dá voto algum. Você tirou todos os benefícios de ler um trabalho feito por mim, Rick [Burchett, desenhista], Cliff [Rathburn, arte-finalista], Dave Sharpe [letras] e Dave Kemp [cores] – e não ganhamos o benefício do seu voto. Isto não é justo. Temos uma trabalheira para produzir o melhor gibi que pudermos – e, na real, você roubou de nós.”

“Por favor, pare com isso. Você não está sacaneando só a Marvel. Você está sacaneando todas as PESSOAS que trabalharam nessa revista – gente que está tentando sustentar a si mesmo e a suas famílias”, completou Slott.

O autor lembra que quem quiser somente ter uma idéia do gibi pode acessar edições disponibilizadas online gratuitamente, como as em http://www.marvel.com/digitalcomics. E quem vive em regiões do mundo onde suas séries não são distribuídas pode comprá-las nas coletâneas, facilmente encontráveis no comércio online.

Questionado sobre o fato de ele mesmo ser um usuário do site Demonoid, e seus registros dizerem que já baixou modestos 11,6Gb de material (não necessariamente quadrinhos), Slott defendeu-se dizendo que “há várias formas de entretenimento que só consigo ver através de downloads (seriados de TV estrangeiros que não foram lançados em DVD da nossa região, seriados de TV que saíram do ar e ainda não foram lançados em DVD, bem como livros esgotados e que ainda não foram reimpressos). (…) Acho que meu parâmetro é DISPONIBILIDADE. Meu gibi está DISPONÍVEL nas lojas. É onde ele deve ser comprado. Se alguém compra e empresta a cópia física para um amigo – tudo bem. É dele e ele pode fazer o que quiser. Quando ele escaneia o material protegido pela lei de direitos autorais e o compartilha com 20 mil amigos – aí e é outra história”.

Os arquivos dos quais Slott reclamou continuam no ar.

4 COMMENTS

  1. Slott esbarrou no maior problema atual: quase todos os usuários de computador atualmente fazem algum nível de pirataria, seja no sistema operacional, seja em músicas, vídeos, filmes e séries copiadas e distribuídas sem autorização. Ele não quer ser alvo, mas quer copiar.
    Deixando isso de lado sou contra a pirataria dos quadrinhos. Não há nada de romântico e em geral pode ficar até mais cara que o quadrinho convencional se contarmos energia elétrica, banda de internet, tempo, desgaste de computador, tradução e etc.

  2. Também entendo o lado do Slott, afinal é o ganha-pão dele, se a revista não vende, ela é cancelada. Mas não vou ser hipócrita, baixo muito quadrinho na internet, e uso o mesmo argumento do Slott: disponibilidade. Compro tudo da Marvel que sai pela Panini, e talvez 75% da DC que sai aqui no Brasil. Mas tem muita coisa que nem em sonho irá sair aqui, por isso não tenho problema em baixar. Mas claro sempre um lado vai perder…

  3. Como diz o ditado: “pimenta nos olhos dos outros é refresco”. Esse indivíduo não quer baixem suas hqs no site citado na matéria, mas não vê nenhum problema em adquirir, via download, o material de outras pessoas. É muita hipocrisia, de fato. E ainda por cima tenta se justificar dizendo que “esse material ainda não está disponível para venda”. Ora, então espere! e um conselho: continuem fazendo uso desse serviço de download, afinal de contas, a pirataria só se configura quando existe o aspecto econômico. Quem baixa arquivos apenas p/ uso doméstico não pratica a pirataria. Quem diz é a lei!

  4. gostei da sua visão, realmente se tudo que baixasse fosse pirataria então cartão de vestibular e de concurso só fazia na mepresa que disponibilizava as inscrições, e xerox de livros seria também pirataria.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.