Crítica – Transformers: The Game

0
345

A guerra entre os Autobots e os Decepticons chegou à Terra. O motivo? O artefato milenar Allspark, que dá a vida aos robôs gigantes e torna-se o alvo da disputa entre os antagonistas. Enquanto os Autobots querem proteger o Allspark e reduzir os danos colaterais contra raça humana, os Decepticons procuram esse construto para fins mais egoístas e estão sempre prontos para a guerra.O jogo desenvolvido pela Traveller’s Tales tem como inspiração o filme de Michael Bay, que mostra a história de Sam Witwicky, um jovem norte-americano que tenta vender os equipamentos de exploração de um de seus antepassados para comprar um carro. Só que ele não sabe que numa dessas peças estão contidas as coordenadas para a localização do Allspark.

Em Transformers: The Game, o jogador pode escolher entre os dois lados da moeda. Como os Autobots, encarnará robôs do grupo de Optimus Prime, enquanto no exército dos Decepticons, sentirá como é fazer parte do bando de Megatron. Ambos os dubladores originais da série televisiva, Peter Cullen (Optimus Prime) e Frank Welker (Megatron), repetem seus papéis no game, o que aumenta o realismo e a fidelidade à série.

Entre os outros dubladores estão Shia LaBeouf, que no filme interpreta Sam Witwicky, e Megan Fox, que vive Mikaela Banes. Junto a uma trilha sonora pesada, as dublagens acrescentam em muito ao jogo, que tem efeitos sonoros igualmente bons.

Mesmo que os gráficos estejam estupendos, Transformers: The Game peca um pouco na jogabilidade e na dificuldade de alguns de seus níveis. Jogar transformado em carro, por exemplo, pode ser uma tarefa dificílima, principalmente nas fases com tempo, nas quais a velocidade é imprescindível, podendo frustrar parte dos jogadores, que precisarão reiniciá-las muitas e muitas vezes.

Entretanto, a diversão é garantida na forma de robô gigante. Arremessar carros, usar postes como armas e escalar prédios são aspectos extremamente positivos do jogo e que realmente farão com que você se sinta um Transformer.

As missões dos Decepticons, por sua vez, parecem mais difíceis, mas foram as que mais me agradaram. A primeira delas, um combate em uma base militar estadunidense, exige a destruição, sem qualquer auxílio, de todos os prédios e construções existentes em cerca de 2 minutos, enquanto helicópteros e tanques de guerra inimigos miram todos os seus ataques a você.

Outro destaque fica por conta do material bônus existente, que pode ser destravado de acordo com seu desempenho. Além de novos personagens, há ainda filmes e artes que chamarão a atenção dos fãs. Os primeiros conteúdos que destravamos por aqui foram imagens do filme e um vídeo da nova série animada de Transformers.

Ao contrário do que alguns podem pensar esta não é a primeira adaptação dos personagens para os videogames, mas sim a décima. Lançados pela primeira vez no Commodore 64, em 1986, os Transformers já passaram pelo PC, Nintendo 8 bits, PlayStation, Nintendo 64, Gamecube e PlayStation 2. Esta nova versão, além do PlayStation 2 (que utilizamos neste teste), também foi lançada para as plataformas Xbox 360, PlayStation 3 e PC (que possuem mais recursos e melhores gráficos), Wii (que possui um esquema diferente de controles), PSP e Nintendo DS.

A dificuldade do game pode incomodar, mas definitivamente este é um título essencial para os fãs da série.

Compre aqui (PC)

Fonte: Omelete

[tags]Transformers: The Game[/tags]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.