Spoiler: Homem de Ferro em World War Hulk

0
299

Christos Gage falou sobre a interligação do título do Homem de Ferro com a saga World War Hulk – serão duas edições, que Gage foi convidado para escrever quando os roteiristas titulares Dan e Charlie Knauf pediram uma folga para se dedicarem a seus projetos para TV.

“Quando Tom Brevoort, o cara que tinha me contratado para meu primeiro trabalho na Marvel, convidou-me para escrever estas duas edições… Bem, se eu pudesse voltar no tempo teria aceito ainda mais cedo!”, brinca Gage.

A primeira edição escrita pelo roteirista convidado (Iron Man #19) se passa durante World War Hulk #1. Ela mostra como o Homem de Ferro e a S.H.I.E.L.D. lidam com a ameaça da aproximação de um objeto voador não-identificado, e como Tony Stark reage ao perceber que se trata do Hulk… “Poderia Tony, em seu pleno estado de sanidade mental, enviar agentes da S.H.I.E.L.D. para a morte quase certa a fim de consertar uma burrada que ele mesmo fez? E se não mandá-los, isso pode ser considerado deserção?”, indaga Gage. “E, claro, temos um bocado de cenas de luta…OK, muitas cenas de luta!”

A edição seguinte ocorre depois dos acontecimentos de World War Hulk #1, quando o destino do Homem de Ferro é desconhecido e Dum-Dum Dugan tem que tomar o comando da base. “Ele vai fazer as coisas como Tony, ou usar o clássico estilo Nick Fury? Vai se concentrar em deter o Hulk ou em encontrar seu superior desaparecido? O que ele pode fazer quando o Hulk surge na base a fim de acertar as contas com Nick Fury?”, diz o escritor, lançando novas perguntas. “Dugan experimenta a sensação de sentar na cadeira do chefe na pior hora possível. E caso você esteja imaginando, Tony Stark aparece nesta edição… Como, e em que estado, você vai ter que ler para ver.”

Numa época em que as atitudes do Vingador Dourado geram polêmica entre os fãs, Gage diz que “Tony é um cara legal querendo fazer a coisa certa. Assim como o Capitão América, ele é um produto de experiências (das suas próprias, no caso), mas ao contrário do Capitão, ele consegue ver as nuances de cinza no mundo. Entre lutar contra o registro de super-humanos – o que poderia custar várias vidas – e ajudar o governo a tornar o processo de registro menos draconiano, ele preferiu a segunda opção.”

“Lembre-se que Tony é um ex-alcoólatra – ele está mais habituado à idéia de que super-pessoas também podem cometer erros. Como com o Hulk – Tony entendeu que todos já haviam tentado de tudo sem sucesso,e como ele e os outros Illuminati não haviam conseguido impedir que o Hulk matasse inocentes, as mãos deles também estavam sujas de sangue. Exilar o Hulk foi um jeito de deixá-lo vivendo em paz sem ferir ninguém – mas as coisas não foram bem assim…”

Nessa nova fase do personagem, pós-Guerra Civil, Tony Stark é o diretor da S.H.I.E.L.D. Ao passo que seus subordinados e seus inimigos se ajustam às suas estratégias, Tony deixa bem claro que tem seu jeito para tudo, independente de quem está no caminho.

Christos N. Gage é um escritor que já trabalhou com HQs (Pistoleiro, Quasar, Union Jack, Stormwatch: PHD), filmes e séries como o mega-sucesso Numb3rs. Em alguns trabalhos, ele conta com a colaboração da esposa Ruth Fletcher Gage.

Fonte: HQ Maniacs

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.