Homem de Ferro: O filme mais comentado da Comic-Con 2007

0
490

Homem de Ferro foi, disparado feito um raio repulsor, o filme mais comentado da Comic-Con 2007.

Jon Favreau, Robert Downey Jr., Gwyneth Paltrow e Terrence Howard (diretor e protagonistas do filme do Homem de Ferro), ao lado dos executivos e produtores Gale Ann Hurd, Avi Arad e Kevin Feige, participaram do painel do Marvel Studios logo em seguida à apresentação do Incrível Hulk.

A apresentação abriu com um incrível vídeo do filme, mostrando Tony Stark comentando suas novas tecnologias ao exército dos EUA e, mais tarde, sendo entrevistado. “O senhor é considerado o Da Vinci dos nossos tempos…”, ao que ele responde “Ridículo. Eu não pinto”. “E o que o senhor me diz de seu outro apelido, Mercador da Morte?”. “Esse é bem melhor”, exclama blasè o bilionário desenhista de armas. Na seqüência Stark é emboscado durante uma visita ao Oriente Médio – e tomba vítima de um estilhaço de granada em seu coração. É salvo por outro cientista, que implanta em seu peito um aparato magnético. Em cativeiro e forçado a trabalhar para terroristas, Stark cria para si uma armadura, a cinzenta Mark 1, com a qual escapa – numa excelente cena de ação. O vídeo segue com cenas rápidas de explosões – com direito a trilha sonora do Black Sabbath – e termina com uma perseguição aérea entre caças e o vingador dourado.

Jon Favreau e Robert Downey JrAssim que o vídeo terminou, o falador Jon Favreau (Zathura, mais conhecido pelos fãs de quadrinhos como o Foggy Nelson de Demolidor) deixou claro que a apresentação faria a alegria dos fãs: “ainda não estamos preocupados com trailers e marketing pra quem não conhece o Homem de Ferro. Aqui na San Diego é hora de falar do filme para quem é fã!”

O cineasta, originalmente interessado no filme do Capitão América, informou que uma montagem preliminar da adaptação já está pronta e que ficou com umas 3 horas de duração, o que é ótimo para uma edição grosseira. Geralmente esse estágio de uma produção blockbuster fica com 4 a 5 horas, “fomos econômicos”, garantiu o diretor, que define a experiência como “incrível”.

E para quem está estranhando já existir um vídeo mostrando tanta coisa apenas poucas semanas depois do término das filmagens, Favreau explica que usaram tantos elementos reais no filme que a computação gráfica – que é o que mais demora na pós-produção – será minimizada. “Tentamos fazer uma mistura de coisas: ter armaduras tão legais que parecem computação gráfica, e computação gráfica tão realista que parece uma armadura bem feita. Com sorte, o público não conseguirá dizer qual é qual”. De fato, no filme mostrado apenas a cena final tinha computação gráfica.

Favreau disse também que acredita que existem muitas inconsistências nos 40 anos de história do personagem. “Ele ficou tão poderoso que todo o equilíbrio entre ele e seus vilões se perdeu. Queremos avançar aos poucos, mostrando a evolução desde a Mark 1 [a armadura cinza] de uma forma plausível, mas nunca chegando a um ponto em que a armadura sairá de dentro do corpo dele ou coisas assim, que às vezes acontecem nos quadrinhos”, disse, já pensando inclusive nos outros dois filmes que já estão previstos. A propósito… neste, serão três armaduras – e só vimos até aqui a Mark 1 e a 3 (a vermelho e dourada).

Sobre o elenco, o diretor afirma que ele só conseguiu reunir atores notáveis como estes num filme de quadrinhos por causa de Christopher Nolan. “Ele abriu as portas com Batman Begins. Eu pude selecionar elenco como faria se o filme fosse uma produção independente”. E não deixa de ser, já que a Marvel agora controla e financia completamente suas produções – deixando a Paramount apenas com a tarefa de distribuí-las.

E por falar em elenco, Downey Jr. vive Tony Stark, “playboy, bilionário, egocêntrico e gênio […] herói que, na tradição da Marvel, tem falhas e conflitos”, definiu Favreau. “O Homem de Ferro nunca foi um herói a ser amado pelos leitores. Ele explora como o público pode sentir empatia por um personagem desagradável”, acredita.

Downey Jr., vestindo o terno do herói e totalmente à vontade na Comic-Con, garante que o projeto é o mais importante que já fez. “Eu acho que viver qualquer personagem é como viver um super-herói. São vidas que não são minhas. Mas neste as possibilidades são ainda mais incríveis e estou encarando esse projeto como o mais importante da minha carreira”. Comentando breve e sutilmente seus problemas pessoas – e como eles se encaixam na personalidade de Tony Stark, Downey Jr. diz apenas que “creio que há destino em tudo e quero agradecer esses caras pela oportunidade que eles me deram”.

Gwyneth Paltrow, que entrou mancando por um problema no pé (o que não a impediude usar um enorme salto alto), se disse interessada no projeto pela presença de Robert Downey Jr. e Favreau. “E pela dinâmica entre Pepper Potts e Tony Stark”, complementou.

Ao final, Stan Lee apareceu de surpresa na apresentação, contando que almoçou com Downey Jr. para discutir o personagem e garantindo que “se tivéssemos um roteirista tão bom quanto Favreau na Marvel lá atrás, nunca teríamos levado tanto tempo para derrubar a DC”, ao que foi vaiado por metade da platéia e ovacionado pela outra…

A adaptação das aventuras da Marvel Comics estréia em 2 de maio de 2008.

Fonte: Omelete

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.