Crepsculo dos deuses: morre o heri dos quadrinhos

0
668 views

Cena na nova histria do Capito Amrica

SO PAULO – O Capito Amrica est morto. A histria do assassinato do super-heri est na revista de n. 25 lanada nesta quarta-feira, 7, nos Estados Unidos. Desafiando a lei de registro aos super-heris, mote de Civil War, Steve Rogers, o Capito Amrica, defendia que os heris deveriam ser annimos e no funcionrios do governo. Foi preso por seu ex-colega, Homem de Ferro. A caminho do tribunal aonde seria julgado, o heri foi alvejado com dois tiros.

Quem f de quadrinhos pode ficar desconfiado com a notcia. Afinal nenhuma morte parece durar muito nas pginas de super-heris. Assim foi com o Super-Homem, morto em 1993 e ressuscitado em 1994, Jean Grey, a Fnix de X-Men, em 1984 e 1986, Reed Richards (de Quarteto Fantstico), Ciclope (tambm de X-Men), Tia May (de Homem-Aranha) e vrios outros ao longo dos anos. Em reportagem feita pela CNN, o editor-chefe da Marvel Comics, Joe Quesada comentou que em outros tempos a morte nos quadrinhos tinha pouco significado, mas que agora diferente. “Tudo que peo para meus roteiristas que se voc for matar algum personagem, que essa morte tenha algum significado no escopo das coisas”, afirmou.

Civil War

Para alm do chamariz comercial que cerca a revista, a morte do Capito Amrica ganha um verniz poltico bastante delicado. Civil War revolucionou o mundo dos quadrinhos no ano passado e polarizou a definio de herosmo.

Enquanto uns achavam que a atitude mais politicamente correta era se submeter autoridade do governo, outros diziam que o anonimato a mais vlida expresso de altrusmo e cidadania. A controvertida inspirao do enredo veio de temas como o Patriot Act, a Guerra ao Terror e o 11 de Setembro.

“Qualquer criana sabia (do ataque terrorista) de 11 de setembro”, disse Dan Buckley, presidente da Marvel Comics CNN. “Se (ela) pudesse ver TV ela saberia o que foi o 9/11. Outras semelhanas com a realidade so apenas partes do enredo”, completou. Ed Brubaker, escritor da revista, em entrevista ao NY Daily News, foi alm. Segundo ele, “os leitores de esquerda gostariam de ver o Capito fazendo discursos contra a administrao (do presidente) Bush em cada esquina, e os leitores de direita gostariam de v-lo nas ruas de Bagd socando (o ex-ditador) Saddam (Hussein)”.

O assassinato do heri em si tem outro parentesco com a realidade difcil de negar. De forma parecida que o heri dos quadrinhos, Lee Harvey Oswald, acusado de assassinar John F. Kennedy, foi morto a tiros numa transferncia de priso em 24 de Novembro de 1963.

Para o co-criador do Capito Amrica, Joe Simon, de 93 anos, a morte do personagem criado em 1941 s vsperas da entrada dos Estados Unidos na 2 Guerra Mundial, “ um momento trgico.” Com pesar, o velhinho atestou “Ns realmente precisamos dele agora”.

Fonte: Estado