Filme estimular venda de videogames do Homem-Aranha

0
720 views

LOS ANGELES, EUA – A temporada de megalanamentos do setor de videogames comea este ano em 4 de maio, quando Spider-Man 3 chega s lojas, contando com o apoio de toda a ateno que uma superproduo de Hollywood pode gerar a fim de estimular vendas pesadas do novo jogo.

O videogame Spider-Man 3, produzido pela Activision, segue duas verses anteriores baseadas nos dois primeiros filmes estrelados pelo super-heri lanador de teias. Na nova verso, ele enfrenta o vilo Homem de Areia (Sandman, no original) e um inimigo igualmente ameaador –o lado obscuro de sua personalidade.

Os crticos dizem que a narrativa oferecida pelos quadrinhos originais serve como base perfeita a um videogame, e esperam que o apelo amplo do produto torne Spider-Man 3 um dos videogames mais vendidos do ano.

As vendas dos dois primeiros jogos atingiram um valor combinado de cerca de US$ 300 milhes, de acordo com o grupo NPD de pesquisa de videogames.

“Acredito que eles vo se sair extremamente bem”, disse Michael Pachter, analista de videogames na Wedbush Morgan.

Ele comentou que o lado maligno da personalidade do Homem-Aranha havia permitiu que os criadores dessem ao jogo um tom mais nervoso e atraente, e classificou Sandman como um vilo ideal. “Voc o soca e seu punho simplesmente o atravessa. Se voc o molha, ele derrete. preciso ser mais criativo para enfrent-lo”, afirma.

Pachter estima que o jogo deva vender cerca de seis milhes de unidades em todo o mundo no ano fiscal da Activision, que se encerra em maro de 2008. O nmero provavelmente superar em um ou dois milhes de unidades as vendas previstas para Harry Potter and the Order of the Phoenix da Electronic Arts, que sai em companhia do filme homnimo, em julho, segundo Pachter.

“Ns realmente investimos pesado em Spider-Man”, diz Scott Walker, produtor-executivo da Activision.

As verses para o Sony PlayStation 3, para o Microsoft Xbox e para computadores de alto rendimento oferecem qualidade grfica de cinema e seqncias interativas que ele classificou como “cinerativas.”

Fonte: Estado